Vídeo: a cultura finlandesa de respeito ao dinheiro público

Claudia Wallin, para a RFI - Os termômetros marcam dois graus, e a embaixadora da Finlândia na Suécia se prepara para ir ao trabalho – sem carro oficial, nem motorista. Todos os dias, Liisa Talonpoika enfrenta o frio e pedala três quilômetros até seu gabinete, na sede da Embaixada finlandesa em Estocolmo. “Estou economizando o dinheiro do contribuinte”, diz a embaixadora à RFI. As pedaladas da embaixadora refletem a cultura finlandesa de respeito ao dinheiro público no país, que se tornou – assim como os vizinhos nórdicos – um modelo de igualdade social.

Primeiro caça Gripen brasileiro é entregue na Suécia

Claudia Wallin, enviada especial a Linköping, na Suécia - “Este é um momento histórico”, declarou nesta terça-feira (10) na Suécia o ministro da Defesa do Brasil, general Fernando Azevedo e Silva, na cerimônia oficial de entrega do primeiro caça Gripen brasileiro para o início da campanha de ensaios em voo. O contexto de corte de verbas anunciado pelo governo não parece preocupar os interlocutores suecos.

Gripen brasileiro faz voo inaugural na Suécia

Cinco anos após o contrato para a compra pelo Brasil de 36 caças supersônicos do modelo sueco Gripen, foi realizado nesta segunda-feira em Linköping, na Suécia, o voo inaugural do primeiro Gripen brasileiro - resultado da parceria entre a fabricante sueca Saab e a brasileira Embraer. A cerimônia oficial de entrega do Gripen brasileiro para o início da campanha de testes em voo será feita no próximo dia 10 de setembro na sede da Saab em Linköping, com a presença de autoridades brasileiras e suecas.

Como os deputados suecos vivem sem assessores particulares

"Sério?", reage o deputado sueco David Josefsson, entre discretos risos de incredulidade, ao ouvir que no Brasil um único parlamentar (o senador Izalci Lucas, do PSDB-DF) já chegou a ter 85 funcionários durante o mandato. No sistema sueco, nenhum parlamentar tem direito a secretário ou assessor particular. Cada partido político representado no Parlamento recebe uma verba restrita para contratar um grupo de assessores, que atende coletivamente a todos os deputados de uma mesma sigla. E estes recursos cobrem, em média, apenas a contratação de um assessor para cada parlamentar. Não é irreal fazer um Parlamento funcionar com uma quantidade limitada de assessores", diz Josefsson

Rede sueca de supermercado contesta reação do governo brasileiro e quer ampliar boicote a produtos

A decisão da rede sueca de supermercados Paradiset de boicotar produtos brasileiros, em consequência da liberação recorde de novos agrotóxicos pelo governo brasileiro, provocou a reação da Embaixada do Brasil na Suécia e levou a uma troca pública de correspondências entre a missão diplomática e o presidente do grupo sueco - que também anunciou a criação de um site para ampliar sua campanha e incentivar outras redes de alimentação a se juntarem ao boicote.

Vídeo: rede sueca de supermercados anuncia boicote a produtos brasileiros

A rede sueca de supermercados Paradiset anunciou nesta quarta-feira (5) um boicote a todos os produtos do Brasil, em consequência da liberação recorde de novos agrotóxicos pelo governo brasileiro. Do total de 197 agrotóxicos já autorizados neste ano pelo Ministério da Agricultura, 26% são proibidos na União Europeia, em razão dos riscos à saúde humana e ao meio ambiente. “Precisamos parar (o presidente) Bolsonaro, ele é um maníaco”, disse à RFI o presidente do grupo Paradiset, Johannes Cullberg.

"Um País Sem Excelências e Mordomias" no jornal sueco Nya Wermlands-Tidningen

"Um País Sem Excelências e Mordomias" no jornal sueco Nya Wermlands-Tidningen

"Um País Sem Excelências" no jornal sueco Norrbottens-Kuriren

A versão em inglês de"Um País Sem Excelências e Mordomias" - "Sweden - The Untold Story" - no jornal sueco Norrbottens-Kuriren.

Suécia sem mordomias: entrevista ao vivo para a BBC News Brasil

Entrevista ao vivo para a BBC News Brasil, direto do Parlamento sueco. "Suécia sem mordomias: deputados não têm assessores, dormem em quitinete e pagam pelo cafezinho"

Suécia, o país onde deputados não têm assessores, dormem em quitinete e pagam pelo cafezinho

Claudia Wallin, de Estocolmo para a BBC News Brazil: Para os deputados suecos do novo Parlamento, eleito em setembro passado, a realidade é a austeridade de sempre: gabinetes de até sete metros quadrados, apartamentos funcionais que chegam a ter 16 metros quadrados, e rígidos limites para o uso do dinheiro dos contribuintes no exercício da atividade parlamentar. Benefícios extras concedidos a parlamentares no Brasil - como verbas para fretamento de aeronaves, aluguel e demais despesas de escritório político na base eleitoral; alimentação do parlamentar; contratação de secretária e entre 25 e 50 assessores particulares; ressarcimento de gastos com médicos; auxílio-creche pago por cada filho até os seis anos de idade; auxílio-mudança para se transferir para a capital; fundos para contratação de consultorias, assinatura de publicações e serviços de TV, além de divulgação de mandato - não são oferecidos a deputados suecos. E imunidade parlamentar é um conceito que não existe na Suécia.

Vídeo: Toda a Pompa....de um Parlamentar sueco

Claudia Wallin, de Estocolmo para a Globonews - O programa Sem Fronteiras, da Globonews discutiu o tamanho dos gastos públicos com os parlamentares pelo mundo. A Suécia tem a austeridade e a transparência como valores primordiais - o deputado Ola Möller vai de metrô para o trabalho, almoça no bandejão do Parlamento sueco e paga do próprio bolso pelo cafezinho na Câmara. O gabinete de Ola tem 8 metros quadrados. Ele vive em um apartamento funcional de 28 metros quadrados - e cuida de todas as tarefas domésticas.

Comprar Livro

Radar Brasil

Crônicas da Escandinávia

A Vida Na Suécia