Como o Senado brasileiro perdoa faltas e não desconta salário de senadores

[show_fb_likes]

Como faltar ao trabalho sem ter as faltas descontadas no salário? Pergunte a um senador: quase 80% das ausências registradas no Senado brasileiro em 2015, como mostra a revista Congresso em Foco, foram abonadas por motivo de “atividade parlamentar” – que, a rigor, pode ser qualquer coisa. Muitos senadores sequer justificam a falta, e ainda assim escapam de corte no salário.

Da Revista Congresso em Foco:

A Constituição estabelece, em seu artigo 55, que o parlamentar ausente a um terço das sessões ordinárias do Senado ou da Câmara perderá o mandato se não apresentar justificativa para as faltas. O senador ou deputado que desaparece do Congresso e não apresenta razões para isto tem os dias de salários cortados. Mas os senadores descobriram um jeito novo e simplório para driblar as punições: alegam apenas que estão em “atividade parlamentar” nos estados e ganham o abono da falta.

Levantamento exclusivo feito pela Revista Congresso em Foco revela que três de cada quatro senadores usaram esse tipo de explicação para suas ausências em 2015. Ao todo, 61 dos 82 parlamentares que passaram pela Casa e tiveram ao menos uma falta recorreram ao expediente. Das 1.072 ausências justificadas, 820 (76%) foram atribuídas a atividades parlamentares. Em tese, pode ser qualquer coisa que um congressista esteja fazendo, seja de interesse público ou relacionado ao seu mandato. Seja em Brasília, no seu estado ou até no exterior.

A Mesa Diretora do Senado abona as faltas mesmo quando a desculpa do congressista não especifica o local ou a agenda a ser tratada. É possível anular a ausência e evitar o corte no salário apenas com uma declaração do parlamentar. A Secretaria-Geral da Mesa explica que o senador sequer precisa apresentar comprovante sobre o tipo de atividade de que participou. O congressista só é obrigado a apresentar relatório de suas atividades fora do Legislativo quando a missão política implicar custo.

O número de ausências justificadas quase dobrou do primeiro ano da legislatura passada para esta. Em 2011, 669 faltas foram abonadas, ou seja, autorizadas pela Mesa Diretora ou pelo Plenário. Além das atividades parlamentares genéricas, os senadores podem usar como justificativa a participação em discussões ou eventos em que representam o Senado, as chamadas missões oficiais, e licenças médicas.

Nesses casos, não há desconto nos vencimentos, diferentemente do terceiro motivo admitido pela Casa: o afastamento para tratar de assuntos particulares. Em 2015, dois senadores atingiram o limite constitucional de faltas que implica a perda de mandato: Magno Malta (PR-ES) e Zezé Perrella. Mas, com as justificativas genéricas, eles não correm risco de perder o mandato.

Um terço fora

Campeão de ausências em 2015, Magno não compareceu a 49 das 127 sessões com previsão de votação. Apresentou 34 requerimentos alegando que ficou longe de Brasília em “atividades parlamentares” sem dizer quais. Outras duas faltas o senador atribuiu a problemas de saúde. Em todos os casos teve o ponto preservado. Com isso, apenas três faltas do senador capixaba ficaram sem explicação. A assessoria do parlamentar garante que ele não cometeu nenhuma irregularidade e que se ausentou do plenário para defender suas bandeiras políticas em audiências públicas e sessões importantes do Supremo Tribunal Federal (STF), por exemplo.

Quem mais utilizou o recurso da atividade parlamentar foi Zezé Perrella (PDT-MG). Ele faltou a 48 sessões deliberativas em 2015, mais de um terço do total de reuniões. Em quase todas as vezes, deu a desculpa genérica e teve as faltas abonadas, com exceção de dois dias em que ele alegou “motivos particulares”. Perrella fez duas viagens internacionais oficiais representando o Senado: uma visita técnica a uma empresa nos Estados Unidos, pela Comissão de Ciência e Tecnologia, e outra a Roma, também oficial, para conhecer o Parlamento italiano.

A assessoria de Perrella afirma que as ausências por atividade parlamentar não tiveram intenção de burlar o sistema de controle de presenças, e que todas se deram em razão do mandato. O pedetista também informou que precisava visitar as cidades onde foi votado para manter fiéis os eleitores. Ele só detalhou duas justificativas. Uma para visitar o local do desastre ambiental provocado pela lama da barragem de rejeitos da empresa Samarco, que atingiu distritos da cidade de Mariana (MG), e sua viagem para visitar o Congresso italiano. O senador assumiu o mandato em 2011, como suplente do ex-presidente Itamar Franco, morto naquele ano.

Além de Magno Malta e Perrella, também estão na lista dos mais faltosos de 2015 os senadores José Maranhão (PMDB-PB) e Gladson Cameli (PP-AC). Maranhão alegou que 25 das suas 41 faltas ocorreram porque estava doente com febre chikungunya. Em outras 14 oportunidades, o senador atribuiu suas ausências a atividades parlamentares na sua Paraíba. Cameli conseguiu abonar todas as 36 faltas. Ele informou que viajou ao Vietnã, à África do Sul e à França, onde participou da COP-21, a cúpula mundial do clima em Paris.

Sem justificativa

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) é o campeão de ausências sem justificativas em 2015. Nos dois primeiros meses do ano passado, o parlamentar tirou licença para tratar da saúde. No lugar dele, assumiu o suplente Fernando Ribeiro (PMDB-PA). Entre abril e dezembro, Jader apresentou 11 justificativas para ficar longe de Brasília. Em nove delas alegou motivos particulares. Em outras duas, atividades parlamentares. O senador não apresentou qualquer justificativa para 14 faltas e teve os dias cortados. Jader não quis comentar o assunto.

Outro que registrou número alto de faltas injustificadas no levantamento da revista foi o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Ele faltou a 11 sessões ao longo de 2015. Apenas uma delas foi atribuída a atividade parlamentar. As outras dez faltas não foram abonadas porque não houve apresentação de justificativa. A assessoria afirma que duas dessas ausências ocorreram por motivos pessoais. Nas outras oito, segundo o gabinete de Alcolumbre, o senador não registrou presença porque foi visitar o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e o então ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Os gabinetes das duas autoridades ficam a 300 metros do Congresso.

 

227 respostas
« Older Comments
  1. of coconut oil
    of coconut oil says:

    Simply wish to say your article is as amazing. The clarity in your put up is just
    great and that i can assume you’re an expert on this subject.
    Well along with your permission allow me to snatch your feed to
    keep updated with forthcoming post. Thanks 1,000,000 and please
    keep up the rewarding work.

    Responder
  2. where coconut oil
    where coconut oil says:

    Hey there I am so happy I found your web site, I really found you by error, while I was searching
    on Yahoo for something else, Anyways I am here now and
    would just like to say thank you for a remarkable post and
    a all round exciting blog (I also love the theme/design), I don’t have time to
    go through it all at the moment but I have book-marked it and also included your RSS feeds, so when I have time I will be back to read much more, Please do
    keep up the excellent b.

    Responder
  3. plenty of fish dating site
    plenty of fish dating site says:

    Hiya very cool blog!! Guy .. Beautiful .. Superb .. I’ll bookmark your blog and take
    the feeds additionally? I’m satisfied to search out a lot of useful information here in the
    submit, we’d like develop extra strategies in this regard, thanks for sharing.
    . . . . .

    Responder
  4. plenty of fish dating site
    plenty of fish dating site says:

    Just desire to say your article is as amazing.
    The clearness for your submit is just great and that i
    can assume you are knowledgeable in this subject. Fine
    with your permission let me to clutch your feed to stay up to date with
    impending post. Thanks a million and please carry on the
    enjoyable work.

    Responder
  5. coconut oil health benefits
    coconut oil health benefits says:

    I loved as much as you will receive carried out right here.
    The sketch is attractive, your authored material stylish.
    nonetheless, you command get bought an nervousness over that you wish be delivering the
    following. unwell unquestionably come more formerly again as exactly the same nearly very often inside case you shield this hike.

    Responder
  6. quest bars cheap
    quest bars cheap says:

    I’m impressed, I have to admit. Rarely do I encounter a blog that’s both educative and interesting, and
    let me tell you, you have hit the nail on the head. The issue is an issue that too
    few folks are speaking intelligently about. I’m very happy that I came across this
    during my search for something relating to this.

    Responder
  7. quest bars cheap
    quest bars cheap says:

    I like the valuable information you provide
    in your articles. I’ll bookmark your weblog and check again here regularly.
    I am quite sure I will learn a lot of new stuff right here!
    Best of luck for the next!

    Responder
  8. quest bars cheap
    quest bars cheap says:

    I’d like to thank you for the efforts you’ve put in penning this blog.
    I’m hoping to check out the same high-grade blog
    posts from you later on as well. In truth, your creative writing abilities has inspired me to get my
    own, personal site now ;)

    Responder
  9. minecraft games
    minecraft games says:

    Your mode of describing the whole thing in this piece of
    writing is truly pleasant, every one can easily be aware of
    it, Thanks a lot.

    Responder
  10. quest bars cheap
    quest bars cheap says:

    I got this web page from my pal who shared with me on the topic of this website
    and at the moment this time I am browsing this website and reading very informative articles at this place.

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. Google disse:

    Google

    Below you’ll discover the link to some web pages that we consider you ought to visit.

« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *