Entries by Claudia Wallin

O exilado do golpe de 64 que nunca voltou da Suécia: “tenho medo”

Claudia Wallin, para a BBC Brasil – “Agora sim, estou em paz. O medo passou”, pensou o gaúcho Jadir Schwans Bandeira a bordo do avião, naquela tarde de 17 de fevereiro de 1975. O voo da Sabena que o levava para o exílio na Suécia iniciava os procedimentos para o pouso na capital sueca, Estocolmo. Era o último e mais seguro porto da rota de fuga de Jadir, que após o golpe militar de 1964 se refugiara primeiro no Uruguai, e em seguida na Argentina. “Cada geração tem que lutar pela sua democracia”, diz Jadir.

O novo Fome Zero: Câmara gasta R$ 1,5 milhão com comida para deputados

O novo Fome Zero: mas o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, já anunciou que o governo vai elevar impostos para cumprir a meta fiscal deste ano. “Em todos os casos, os parlamentares usaram a chamada “cota parlamentar”, espécie de adendo aos vencimentos do deputado que varia conforme a distância do Estado de origem do Congresso. Esse valor vai de R$ 44.612,53 (Roraima) a R$ 30.788,66 (Distrito Federal). O salário, de R$ 33.763, permanece intacto enquanto o parlamentar executa pedidos de ressarcimentos à Câmara.”

Veja a emenda do deputado que exclui juízes e membros do MP da reforma da Previdência

O deputado federal Lincoln Portela (PRB-MG) apresentou uma emenda que retira juízes e membros do Ministério Público das novas regras da Reforma da Previdência, pelas quais o cidadão terá que trabalhar quase meio século para se aposentar. A conferir: A conferir: o relator da reforma da Previdência na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA), disse a interlocutores que não incluirá a emenda em seu relatório.

Escândalo na Suécia: deputado usa milhas do cartão que parlamentares recebem para usar transportes públicos

Claudia Wallin, de Estocolmo para a BBC Brasil – Um escândalo político reverbera nas manchetes de toda a mídia na Suécia: para horror de todos, o deputado Tomas Tobé usou, em benefício próprio, as milhas acumuladas no cartão que o Estado paga aos parlamentares para utilizarem gratuitamente os trens e transportes públicos do país. Secretário-executivo do Partido Moderado (conservador), Tobé usou os pontos de seu cartão para pagar um saco de amendoim, uma refeição, vinho e água, além de oito bilhetes de trem para viagens de caráter pessoal. O valor total da imprudência: 10,865 coroas suecas – o equivalente a cerca de 3,8 mil reais.

Você pagou: “Cotão” do Congresso custou mais de 250 mil salários mínimos em 2016

A crise no Congresso do País das Maravilhas: como mostra reportagem do Congresso em Foco, parlamentares gastaram juntos R$ 235 milhões da verba indenizatória em 2016, o equivalente a mais de 250 mil salários mínimos ou a sete anos de salário dos 81 senadores. Alguma inteligência superior poderá talvez explicar a razão de uma parcela significativa dos gastos: R$ 50 milhões foram gastos apenas com a “divulgação da atividade parlamentar”. Saiba o que diz a deputada sueca Rossana Dinamarca – que como todos os parlamentares da Suécia, não tem direito a verba para “divulgação da atividade parlamentar”.

Islândia: primeiro país do mundo a exigir salários iguais para homens e mulheres

A Islândia vai ser o primeiro país do mundo a obrigar os empregadores a provarem que pagam o mesmo salário para trabalho igual – independentemente de gênero, etnia, sexualidade ou nacionalidade. O anúncio foi feito pelo governo da ilha nórdica no Dia Internacional da Mulher. “Chegou a hora de fazer algo radical sobre esta questão”, disse o ministro islandês de Igualdade e Assuntos Sociais, Thorsteinn Viglundsson: “Salário igual é um direito humano. Precisamos garantir que homens e mulheres tenham oportunidades iguais no local de trabalho.”

A menina pobre que viveu em caverna no Brasil e virou escritora de sucesso na Suécia

Claudia Wallin, de Estocolmo para a BBC Brasil -“Christiana, me prometa uma coisa. Aconteça o que acontecer na sua vida, nunca pare de caminhar”, disse certa vez sua mãe, naqueles tempos miseráveis em que ela se chamava Christiana Mara Coelho. Sua primeira casa foi uma caverna no Parque Estadual do Biribiri, perto da cidade mineira de Diamantina. A segunda, uma favela de São Paulo. Mas quando ela tinha oito anos de idade, tudo iria mudar: um dos “pássaros de metal” que ela via voar no céu de São Paulo a levou para a Suécia, ao lado dos pais adotivos. E ela passou a se chamar Christina Rickardsson. A história das duas vidas de Christina se tornou um best-seller na cena literária da Suécia, com título dedicado às palavras da mãe – “Sluta Aldrig Gå” (“Nunca Pare de Caminhar”).

Veja como são os apartamentos funcionais de deputados no Brasil e na Suécia

Assista os vídeos: no Brasil, o apartamento funcional de um deputado tem 225 metros quadrados, quatro quartos – sendo duas suítes – e até banheira de hidromassagem. E mais: o atraso na reforma dos apartamentos funcionais já causaram prejuízos de 180 milhões de reais. O custo da reforma de cada apartamento está em R$ 700 mil. Obras já consumiram R$ 122 milhões e devem durar mais 12 anos. Na Suécia, os apartamentos funcionais dos deputados têm apenas um cômodo, chegam a ter 18 metros quadrados e não há sequer máquina de lavar: as lavanderias são comunitárias.