“Vai pra Suécia” – vereadores de Pelotas protestam contra colega que abriu mão de verba

Pela primeira vez, um político brasileiro sobe à tribuna com o livro “Um País Sem Excelências e Mordomias” nas mãos, para falar sobre o exemplo sueco de respeito ao dinheiro público: na Câmara Municipal da cidade de Pelotas (RS), o vereador Daniel Trzeciak (PSDB) esgrimiu o livro para anunciar que renunciou à verba de gabinete – uma quantia anual de R$ 21 mil por vereador destinada a gastos com cópias de xerox, correios, telefone celular. Ele vai custear esses serviços com o próprio salário, de R$ 10 mil brutos.

Veja o vídeo aqui

Foi um pequeno gesto – na Suécia, vereadores não recebem sequer salário, e não têm direito a gabinete: eles trabalham de casa. Mas se o gesto de Daniel fosse seguido pelos demais 20 vereadores, Pelotas chegaria a uma economia de R$ 1,7 milhão em quatro anos de mandato.

Da tribuna da Câmara, Daniel Trzeciak leu os dizeres da capa de “Um País Sem Excelências e Mordomias”: ‘Na Suécia, os políticos ganham pouco, andam de ônibus e bicicleta, cozinha sua comida, lavam e passam suas roupas e são tratados como “você. No Brasil…”. Do exemplo sueco, veio a iniciativa de abrir mão da verba de gabinete.

O vereador na tribuna com o livro “Um País Sem Excelências e Mordomias”

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi o suficiente para que seis vereadores subissem à tribuna para protestar.

“Algumas coisas que Daniel ouviu de colegas”, informou o jornal digital Amigos de Pelotas:

“Vai morar na Suécia”. “Fecha o gabinete, apaga a luz, deixa de tomar café”. Em privado, um vereador perguntou ao jovem tucano: “Tu preferes estar de bem com a população e de mal com teus colegas?”Detalhe: nenhuma voz se ergueu na sessão para defendê-lo.”

A reportagem da RBS, afiliada da TV Globo, mostra a reação do vereador Anderson Garcia (PTB) ao subir à tribuna:“Não estamos na Suécia. Estamos no Brasil, um país de terceiro mundo”.

Vereador Anderson Garcia (PTB): “Estamos no Brasil, um país de terceiro mundo”

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui para adquirir o livro “Um País Sem Excelências e Mordomias”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Do site Amigos de Pelotas:

‘Vai morar na Suécia’, disseram ao vereador Daniel. Motivo: ele ter tomado uma iniciativa lógica e exemplar. Este é o Brasil…

O fato mais importante desta semana na política pelotense partiu de um vereador. Em primeiro mandato, um jovem jornalista, Daniel Trzeciak, do PSDB, renunciou à Verba de Gabinete na Câmara, uma quantia anual de R$ 21 mil por vereador destinada a gastos com cópias de xerox, correios, telefone celular. Ele vai custear esses serviços com o próprio salário, de R$ 10 mil brutos. Adivinhe. Houve vereadores que se sentiram ofendidos e o acusaram de “demagogia”.

Se o gesto de Daniel fosse seguido pelos demais 20 vereadores, Pelotas chegaria a uma economia de R$ 426, 2 mil por ano – R$ 1,7 milhão em quatro anos de mandato. Para se ter ideia, com esse dinheiro o Executivo poderia custear o Carnaval por cinco anos, nos moldes em que é feito hoje, além de benfeitorias em escolas e postos de saúde.

Daniel foi influenciado pelo livro Um país sem excelências nem mordomias, da jornalista brasileira Cláudia Wallin. O livro mostra que na Suécia vereadores não recebem salário, não têm sede própria. Eles ganham um notebook do governo e trabalham de casa, em rede com os colegas, e se reúnem em instalações emprestadas pela prefeitura.

O jovem tucano não propôs uma mudança radical como na Suécia. Movendo-se dentro da corporativa e atrasada política brasileira, que infelizmente não é como a sueca, ele tomou uma decisão pessoal que pode ou não ser seguida pelos outros.

Foi um pequeno passo.

Mas foi o bastante para que seis vereadores subissem à tribuna para se opor à ideia e outros mais tenham feito o mesmo em apartes às intervenções do sexteto.

Saíram de suas cadeiras e foram à tribuna os vereadores Marcus Cunha (PDT), Anderson Garcia (PTB), Ademar Ornel (DEM), Marcos Ferreira (PT), Daiane Dias (PSB) e Valdomiro Lima (PRB).

‘VAI MORAR NA SUÉCIA’

Algumas coisas que Daniel ouviu de colegas: “Vai morar na Suécia”. “Fecha o gabinete, apaga a luz, deixa de tomar café”.

Em privado, um vereador perguntou ao jovem tucano: “Tu preferes estar de bem com a população e de mal com teus colegas?”

Respondeu assim: “Prefiro estar em paz com a minha consciência”.

Detalhe: nenhuma voz se ergueu na sessão para defendê-lo.

‘FIQUEI SURPRESO COM A REAÇÃO’

“Eu fiquei surpreso com as reações e com a distorção que fizeram de minhas palavras”, diz Daniel, por telefone.

“Meu compromisso é com a população. É inadmissível que se utilize tanto dinheiro público com serviços que podem ser economizados. Estou fazendo a minha parte, procurando dar exemplo. A economia que decidi fazer dá retorno para a cidade. Só teremos resultados diferentes se agirmos diferente”, justificou Daniel.

A decisão do jovem tucano, que é também jornalista e administra o site Vergamota, de onde recebe pró-labore, faz sentido lógico, por cívica, sobretudo em tempos de crise econômica, como a que passa o País.

Faz sentido, inclusive, porque, mesmo sem aquela verba de gabinete à qual ele renunciou, no quesito xerox, por exemplo, todos os gabinetes já estão servidos cada um de uma copiadora de xerox multifuncional, com direito a papel e toner. Ou seja, há um gasto redundante com xerox. E continuará assim em todos os gabinetes, menos no de Daniel.

O novo, aquilo que desacomoda, sempre provoca reações negativas. Por isso também Daniel merece o reconhecimento. Ele foi corajoso, deu um passo adiante, deu um exemplo, não teve medo de pagar o preço do isolamento.

“Eu não faço da atividade de vereador um fim em si mesmo, não vejo a política como uma carreira profissional. Tenho minha profissão, sou jornalista e empresário. Hoje eu estou vereador”.

1000 REAIS DE CELULAR

Enquanto ele ouvia os protestos dos colegas que foram à tribuna para mandá-lo ir viver na Suécia, outros circulavam falando baixinho ao celular. Por falar nisso, há vereadores em Pelotas que gastam mil reais com contas de telefone celular, pagas pelo contribuinte.

A Câmara de Pelotas existe há 180 anos. No prédio onde está instalada hoje, na rua Quinze de Novembro, pagam R$ 40 mil de aluguel, talvez o maior valor pago por uma locação da cidade.

Traduzindo: se você quer ver um Legislativo municipal moderno, vá morar Suécia. Felizmente, ainda há quem rejeite a ideia de que viver no Brasil seja uma condenação. Daniel merece o aplauso dos pelotenses pelo pequeno mas exemplar passo que teve a coragem de dar.

94 respostas
« Older Comments
  1. Leandro Dos Reis
    Leandro Dos Reis says:

    Parabéns a você e ao vereador. Deve ser a mesma sensação que se tem ao plantar uma sementinha num vaso e notar o primeiro ramo crescendo. É por aí mesmo! Vou compartilhar imediatamente!

    Responder
  2. Angela Sorrentino
    Angela Sorrentino says:

    bom se sobrar ele pra apagar a luz ja é um bom sinal pois se ele nao aceitou verbas então é diferente dos outros colegas….e que se saiba os nomes desses que debocharam dele pra que o povo nao votem mais nesses palhaços.Se eles nao querem melhorar o pais então vão plantar batatas pra serem politicos nao servem.Vão pra INDONÉZIA CHINA LÁ VOCES VÃO SABER O QUE BOM PRA CORRUPTOS.

    Responder
  3. Lucrecio Trevisan Freitas
    Lucrecio Trevisan Freitas says:

    Para começar apenas 9 vereadores por cidade
    Sem assessores
    Com salário de professor municipal
    15 deputados estaduais por estado sem mordomias com salário de professor estadual
    125 deputados federais.
    Sem senado
    Sem nenhuma mordomia.
    Salário de professor federal

    Responder
  4. Josemar de Melo
    Josemar de Melo says:

    A “ponte” que separa as atitudes dos edis (o que renunciou a verba e os que o criticaram) tem nome: EDUCAÇÃO CULTURAL​!!!

    Responder
  5. Mariadejesus Rodrigues
    Mariadejesus Rodrigues says:

    Daniel nome de vencedor, você está agindo como o verdadeiro DANIEL da Bíblia Sagrada, junto com a política mas não misturado, você e um vereador elevado por excelência. Sabe o que aconteceu com o DANIEL da Bíblia Sagrada, ele era um homem sábio como você, foi levado pelo Rei a morar no castelo, ele se recusou a obedecer o que era incorreto, com esse posicionamento DEUS lhe honrou, leia a história de DANIEL, proceda como ele que você chegará a presidente desse País, eu creio, você foi levando por DEUS, ande na justiça e na verdade, não se corrompa com esse mundo tenebroso. Leia a Bíblia Sagrada e creia e será vencedor, porque nossa vida pertence a DEUS e ele que nos dar vitória. Honre a DEUS primeiro amando as Escritura Sagrada e depois o próximo- gente sem exceção de pessoas, que DEUS te abençoe abundantemente não só hoje mais todos os dias de tua vida terrena. Feliz Páscoa no SENHOR JESUS CRISTO.

    Responder
  6. Francisco Costa
    Francisco Costa says:

    São os aproveitadores poloíticos, fica uma pergunta, antes de entrar não tem nada (se elege tem de corrupção a mordomia) e depois não eleito como fica o parlamentar?

    Responder
  7. Jose Roberto De Almeida Almeida
    Jose Roberto De Almeida Almeida says:

    Inacreditável, para o atual político brasileiro, errado, é ser honesto…
    Força Brasil, vamos ensinar a primeira lição de ética para a classe política brasileira, vamos boicotar nas urnas, partidos políticos que tenham entre seus representantes, parlamentares fixa suja e citados por corrupção…
    Vamos todos exigir o fim do foro privilegiado…

    Responder
  8. Genyr Kappler
    Genyr Kappler says:

    políticos vivendo na soberba, onde o povo perde a cada dia mais direitos, dignidade, qualidade de vida…. É esta a igualdade social que estão criando no brasil????

    Responder
  9. Alexandre Rizzo
    Alexandre Rizzo says:

    Esse vereador é bem avaliado? É rico? De família de posses? Pergunto pq o cara é do PSDB, qué o partido mais corrupto do Brasil, e vem com aquele discursinho de economia doméstica como exemplo de corte de despesa. Já vivi na Escandinávia, e sei que podemos sim tirar boas referências para melhorar nossas instituições, mas de boua, pra mim soa demagógico, parece que o Dória tá fazrendo filhotes, não?! Não li o seu livro ainda, mas gosto muito do que leio por aqui.

    Responder
    • Nara Zenker
      Nara Zenker says:

      Ele é jornalista, é a primeira vez que se candidata, não é rico, e não faz parte da velha política…Assim como Dória, Eduardo Leite…São gestores….

      Responder
    • Andrey Fagundes
      Andrey Fagundes says:

      “são gestores”
      Como que o pessoal cai nessa lorota fácil.
      E ainda cita a nata da bandidagem política como o Dória.
      Ora, muitos políticos da elite também abrem mão de seus benefícios, afinal de contas, o partido já recebe uma milionária base financeira para arcar com os custos de campanha. Afinal de contas, do que adianta um político falar que é contra as mordomias, tal como na Suécia, se ele se opõe a outros modelos bem sucedidos naquela mesma nação como reforma agrária, fim (de fato) do financiamento empresarial de campanhas, etc?

      Responder
  10. Antonio Macedo
    Antonio Macedo says:

    O hoje Senador Reguffe passou pelos mesmos ataques quando foi Deputado Distrital e Federal. Os colegas não aceitam ficar sem as mordomias…

    Responder
  11. Cledeiton Silva Costa
    Cledeiton Silva Costa says:

    Infelizmente é só ele, o Brasil só vai mudar depois que os ratos saírem do governo e levaram seus filhos e netos isso tudo aí sim 2090!!!!!!

    Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*