O novo Fome Zero: Câmara gasta R$ 1,5 milhão com comida para deputados

RADAR BRASIL

O novo Fome Zero: mas o ministro da Fazenda do Brasil em crise, Henrique Meirelles, já anunciou que o governo vai elevar impostos para cumprir a meta fiscal deste ano.

“Em todos os casos, os parlamentares usaram a chamada “cota parlamentar”, espécie de adendo aos vencimentos do deputado que varia conforme a distância do Estado de origem do Congresso. Esse valor vai de R$ 44.612,53 (Roraima) a R$ 30.788,66 (Distrito Federal). O salário, de R$ 33.763, permanece intacto enquanto o parlamentar executa pedidos de ressarcimentos à Câmara.”

Já na Suécia – onde a economia vai de vento em popa -, apenas os deputados que têm base eleitoral fora da capital têm direito a uma diária para os dias da semana em que mantêm atividades no Parlamento. O valor: o equivalente a cerca de 40 reais por dia, o que paga apenas uma refeição em um restaurante barato.

Conheça o livro “Um País Sem Excelências e Mordomias”

Do Uol:

Câmara gasta R$ 1,5 milhão com comida para deputados; Zeca Dirceu e Freire são campeões

Marcos Sergio Silva

Do UOL, em São Paulo

Em um ano, 392 deputados federais pediram ressarcimento de R$ 1.483.237,31 em refeições consumidas pelo país, de acordo com o serviço Controle Cidadão, do portal da Câmara dos Deputados. Os campeões de pedido de reembolso são o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) e o ministro da Cultura, Roberto Freire, que exerceu a legislatura até novembro de 2016.

Dirceu gastou R$ 25.506,94 entre março do ano passado e o mesmo mês de 2017. Freire, no período em que esteve no Parlamento representando o PPS-SP, pediu de volta R$ 24.143,47 referentes a alimentação. Na média, é o líder do pedido de reembolso: foram R$ 3.017 mensais.

Em todos os casos, os parlamentares usaram a chamada “cota parlamentar”, espécie de adendo aos vencimentos do deputado que varia conforme a distância do Estado de origem do Congresso. Esse valor vai de R$ 44.612,53 (Roraima) a R$ 30.788,66 (Distrito Federal). O salário, de R$ 33.763, permanece intacto enquanto o parlamentar executa pedidos de ressarcimentos à Câmara.

Deputado que não gasta fica com saldo para meses seguintes

A Cota para o Exercício Parlamentar existe desde 2009, quando a verba indenizatória, que vigorava desde 2001, e as cotas de passagens aéreas e postal-telefônica foram unificadas.

O saldo mensal não utilizado fica acumulado para os meses seguintes. Apenas despesas com locomoção que envolvam aluguel e fretamento de carros e aeronaves, táxis, pedágios e estacionamentos, combustíveis e segurança são limitadas. O deputado ainda pode usar o limite de R$ 1.747 da verba para complementar o auxílio-moradia da Câmara, hoje de R$ 4.253.

No caso da alimentação, os pedidos de ressarcimento são de refeições executadas a qualquer hora do dia. No dia 7 de março de 2016, por exemplo, quatro notas foram lançadas, duas delas do mesmo horário e mesmo restaurante, no aeroporto de Congonhas. Os valores, de R$ 124,41 e R$ 93,39, correspondiam a dois serviços de bufê e duas garrafas de água com gás.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o deputado Zeca Dirceu afirmou que a “Câmara dos Deputados tem rigoroso sistema de conferência e aprovação dos reembolsos”.

“Todos os reembolsos respeitam os limites legais estabelecidos no Ato da Mesa nº43/2009, e os gastos condizem com a dedicação exclusiva à atividade parlamentar, inclusive em finais de semana e feriados, amplamente divulgada no dia a dia nos seus perfis em suas redes sociais e site oficial. A divulgação dos reembolsos, sem a contextualização da dimensão das viagens de trabalho, pode descaracterizar qualquer comparação ou avaliação justas”, afirma a nota.

Gasto de R$ 237 em um churrasco

O preço médio da refeição à la carte em Brasília, segundo a Pesquisa de Serviços de Qualidade de Vida da Sodexo, foi de R$ 57,86 no ano passado – a mesma pesquisa apontou que o preço de uma “refeição comercial” estava na base de R$ 22,12. A média de gastos do deputado licenciado do PPS Roberto Freire, se almoçasse todos os dias, incluindo sábado e domingo, é de R$ 100,56; a de Zeca Dirceu, R$ 70,85.

No período pesquisado, Freire exerceu o mandato de março a novembro do ano passado, quatro meses a menos do que Zeca Dirceu. A alta média deixa claro que alguns dias o pernambucano gastou menos e outro mais. O dia 15 de outubro de 2016, por exemplo, foi o dia em que ele gastou bem mais: meia picanha fatiada, aspargos, arroz natural, sorvete, pão, salada verde, abacaxi, Coca-Cola zero e um café totalizaram R$ 237 na Churrascaria Rodeio, nos Jardins (zona oeste de São Paulo). O ministro pagaria no mesmo dia R$ 96,10 em alimentação em outro estabelecimento.

“É um reembolso indevido. É o dinheiro do contribuinte que ele gasta”, afirma o secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castelo Branco. Segundo ele, essa verba foi criada em um momento de insatisfação dos parlamentares com seus soldos, em 2001. Com o país em plena crise do apagão, um aumento de salário seria impopular. Optou-se então pela criação da chamada verba indenizatória.

“Essa justificativa de estar em reuniões com os eleitores não tem cabimento”, diz Castelo Branco. “Eles podem acompanhar [o mandato] fora do almoço e do jantar. Como todo trabalhador brasileiro, se ele tiver condições, ele tem que almoçar em sua casa ou restaurante pagando do seu próprio bolso.”

Procurado, o hoje ministro da Cultura, Roberto Freire, respondeu por meio de nota. “Em relação à utilização da cota parlamentar quando do exercício do mandato, não houve absolutamente nenhuma irregularidade ou descumprimento do valor permitido. No que diz respeito aos custos para a manutenção do gabinete parlamentar, é necessário lembrar que a maioria dos deputados também tem escritórios em seus respectivos Estados. Todos os gastos com alimentação e manutenção do escritório foram inteiramente compatíveis com a verba destinada pela Câmara dos Deputados. Os mais de 40 anos de vida pública ilibada atestam a correção de minha conduta e o meu compromisso com a ética e a transparência.”

Leia a matéria completa no Uol

24 de Março de 2017
107 respostas
« Older Comments
  1. Helvio Tarcisio
    Helvio Tarcisio says:

    Você elege o deputado, senador, vereador, prefeito, governador, presidente, mas quando ele toma posse, ele passa a trabalhar pela corporação, em detrimento do cidadão!

    Você o elegeu para representá-lo, paga os seus polpudos salários, mas ele trabalha em benefício da corporação maior, o estado brasileiro.

    Ele se vira contra você, impondo burocracias e impostos cada dia mais abusivos, criando obstáculos (custo+burocracia) para a economia cumprir o seu papel de gerar bens, serviços e empregos para a população.

    Os impostos saqueados da população deveriam ser usados para investir em educação, segurança, saúde, estradas e outras atividades necessárias ao bem comum, mas o seu pseudo representante nem se preocupa com isso.

    Você fica a mercê da violência generalizada, enquanto a corporação embolsa tudo o que toma de você, a título de impostos, de contribuição para INSS e de um mundão de outros tributos.

    Vale lembrar que a carga tributária brasileira é uma das maiores do mundo, quando comparada com tudo o que é produzido no país (PIB).

    O estado toma quase 40% de tudo o que a população brasileira produz e embolsa, em benefício dos seus políticos, magistrados e demais funcionários públicos dos três poderes.

    Enquanto isso, a violência urbana aumenta cada dia mais!

    Não estaria na hora de mudar isso?

    Responder
  2. Nélio Oliveira Barreto
    Nélio Oliveira Barreto says:

    FIM DO FORO PRIVILEGIADO. CHEGA. TEMOS A OBRIGAÇÃO MORAL DE ACABAR COM ESTES ABSURDOS. FORA TODOS POLÍTICOS/AUTORIDADES CORRUPTAS/PARASITAS. TEMOS QUE MUDAR ESTE SISTEMA CRUEL/PERVERSO. NÓS É QUE MANTEMOS ESTÁ IMORALIDADE. CHEGA. PRISÃO PARA TODOS POLÍTICOS/AUTORIDADES CORRUPTAS/PARASITAS. QUEREMOS JUSTIÇA REALMENTE. TETO SALARIAL PARA TODOS OS PODERES R$15.000,00 (LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO E EXECUTIVO).ACABAR COM TODOS OS BENEFÍCIOS/PRIVILÉGIOS IMORAIS. PARA UMA MINORIA LUXO E PARA MAIORIA DA POPULAÇÃO MIGALHAS. CHEGA!! POPULAÇÃO NA RUA PACIFICAMENTE CONTRA ESTES ABSURDOS. NÃO PODEMOS PERDE OPORTUNIDADE DE MUDAMOS ESTE SISTEMA PARASITA/CORRUPTO. LIMITES DE GASTO SIM MAS NÃO PREJUDICANDO SAÚDE E EDUCAÇÃO. VERGONHA. NÃO AO PRIVILEGIO DE SETORES ABASTADOS BENEFICIADOS PELO PAGAMENTO DOS JUROS DA DIVIDA PUBLICA (ESPECULADORES, BANQUEIROS, INCENTIVOS QUESTIONÁVEIS A EMPRESAS…..). NÃO A ANISTIA AO CAIXA 2. FIM DO FORO PRIVILEGIADO. BASTA. TEMOS QUE POR FIM A ESTÁS FARRAS/IMORALIDADES EM TODOS OS PODERES. DEVOLUÇÃO EM DOBRO DO VALORES DESVIADOS/ROUBADOS. VAMOS TODOS PARA RUA. QUEM VAI ARRUMAR ESTE PAÍS? OS POLÍTICOS CORRUPTOS/PARASITAS??? OS ARGENTINOS, PARAGUAIOS, CHILENOS….????? SOMOS NÓS QUE TEMOS QUE DAR UMA BASTA NESTA HIPOCRISIA. AUDITORIA CIDADÃ DA DIVIDA PÚBLICA JÁ. TEMOS QUE NOS POSICIONAR CONTRA ESTÁ POUCA VERGONHA CONTRA TODOS POLÍTICOS CORRUPTOS/PARASITAS (AÉCIO, SARNEY, LULA, TEMER, RENAN, SERRA, FERNANDO HENRIQUE…….) (PSDB, PMDB, PT, PP, DEM, PDT, PPS, PP, PCdoB……..) E NÃO POLÍTICOS. TEMOS QUE ACABAR ESTÁ LÓGICA PERVERSA. NA ESFERA FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL EM TODOS OS PODERES (LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO E EXECUTIVO).
    PRECISAMOS ALTERAR ESTE QUADRO DE POLÍTICOS/AUTORIDADES CORRUPTAS E IMORAIS.
    TEMOS QUE TODOS NÓS UNIDOS REPUDIAR ESTES ABSURDOS. PENAS MAIS RIGOROSAS PARA ESTES CORRUPTOS/ASSASSINOS DA: SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, BEM ESTAR……… DE TODOS NÓS.
    Conscientizar/Esclarecer a População que somos NÓS (os PATRÕES) que PAGAMOS/MANTEMOS este sistema Absurdo/Hipócrita/Parasita. Uma “Vida” medíocre (salário mínimo vergonhoso, alto custo de vida, péssimos sistemas de educação, saúde, segurança, carga tributaria surreal …) para maioria da População.
    Enquanto isto para uma minoria privilegiada (Poderes: Executivo, Judiciário e Legislativo) uma vida de Luxo ($uper $alários, benefícios imorais, “penduricalhos”, mordomias, cartões corporativos, auxílios imorais de toda ordem….).

    Responder
    • Nara Zenker
      Nara Zenker says:

      E quem comanda o banco original da JBS/Friboi….Meirelles, não podia…Não sei se saiu do cargo…

      Responder
  3. Luis Claudio Candido
    Luis Claudio Candido says:

    Infelizmente estamos no século 21e ainda deparamos com essa situação,, em que políticos corruptos esbanja comidas do bom e do melhor,,, enquanto isso muitos brasileiros estam sofrendo com falta de alimentos passando muitas necessidades…. pura covardia…..

    Responder
  4. Rodrigo Dias
    Rodrigo Dias says:

    Acho que deveremos, com atitudes e medidas drásticas e descabidas dessa cambada, devemos tomar medidas drásticas em relação a essa nossa corja de ladrões, ou melhor, digo políticos do Brazil, por que na esta dando mais, pelo amor….

    Responder
  5. Herculano Rodrigues Sousa
    Herculano Rodrigues Sousa says:

    Seria bom se pegassem esses cachorros famintos e jogasem em um lago cheio de jacarés famintos aí sim resolveria o problema da política desumana do Brasil:

    Responder
  6. Elielzer de Souza
    Elielzer de Souza says:

    poderiam cultivar algo novo e transformador com base na simplicidade e nos resultados para o povo, as facilidades da vida política não devem se transformar em lar

    Responder
  7. Luciana Sumigawa
    Luciana Sumigawa says:

    Estella Januario Eloisa Januario Ariadne Paes Rafael Ridao Ricardo Guerfe Helen Monteiro Anne Souza Enzo Maruiti Filipe Costa Gonçalves Vinicius Silva Victor Lima Eber Prado

    Responder
  8. Marcus Di Maggio
    Marcus Di Maggio says:

    Como disse o Mestre Millôr sobre os impostos:
    “O governo é uma espécie de alfaiate que quando a roupa não fica boa faz alterações no cliente.”

    Responder
  9. Angela Sorrentino
    Angela Sorrentino says:

    cambada de mortos de fome…ganham altos salarios e nos pagamos ainda o lanche….. é muito descaramento temos que dar a resposta nas urnas o povo mal tem o que comer…….tomem vergonha na cara

    Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*