Veja como são os apartamentos funcionais de deputados no Brasil e na Suécia

No Brasil, a reportagem do Congresso em Foco fez imagens do imóvel funcional ocupado pelo deputado Rômulo Gouveia na SQN 302, área nobre de Brasília. Veja o vídeo aqui.

O apartamento tem 225 metros quadrados, com quatro quartos, sendo duas suítes. Os imóveis são entregues mobiliados aos deputados, com camas, sofas, mesas, fogão, geladeira, microcondas. Da janela, é possível avistar o Lago Paranoá. A sala, com dois ambientes, acomoda quatro sofás grandes. A suíte principal tem um quarto espaçoso, onde o deputado instalou uma cama king size, uma rede, uma televisão, uma geladeira e uma mini adega. O banheiro tem uma confortável banheira de hidromassagem. O valor do aluguel naquela quadra fica entre R$ 8 mil e R$ 10 mil. O preço do imóvel é estimado pela Câmara entre R$ 2 milhões e R$ 2,2 milhões. O atraso na reforma dos apartamentos funcionais já causaram prejuízos de R$ 180 milhões. O custo da reforma de cada apartamento está em R$ 700 mil – o equivalente a um terço do valor do imóvel. Obras já consumiram R$ 122 milhões e devem durar mais 12 anos.

Na Suécia, deputados vivem em apartamentos funcionais de apenas um cômodo, que chegam a ter 18 metros quadrados – e sem comodidades como máquinas de lavar ou lava-louças: a lavanderia é comunitária. Veja o vídeo aqui.

8 de Março de 2017

 

Comentários do Facebook
125 respostas
« Older Comments
  1. Albano Poffo
    Albano Poffo says:

    A DIFERENÇA É QUE NO BRASIL HÁ UM CACETE EMBUTIDO, PARA MASSAGEM NAS HEMORRÓIDAS E PRÓSTATA DOS MESMOS.

    Responder
  2. Ronaldo GomesdaSilva
    Ronaldo GomesdaSilva says:

    No inferno, para onde eles vão, deve ser confortável também!
    A imoralidade dessa gente, não tem limites!
    Vou reforçar o que digo aqui, há tempos:
    NÃO REELEJAM NINGUÉM NA PRÓXIMA ELEIÇÃO!
    VAMOS MOSTRAR PRA ESSES CANALHAS, QUEM MANDA NESSE PAÍS!
    O MANDATO, NÃO É DELES!
    É NOSSO!

    Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*