Na Suécia, igrejas pagam impostos

Por Claudia Wallin

[show_fb_likes]

Grandes coisas fez o Senhor pelos pastores do Brasil no ano da graça de 2015, e por isso eles estão alegres.

Pois assim disse a eles a Nossa Senhora da Perpétua Isenção Fiscal: vinde a mim, e eu vos aliviarei. E no quinto mês, Eduardo Cunha das Mercês e sua falange evangélica afastaram de vez das igrejas o demônio dos impostos que agora só atormenta os ímpios, aleluia.  Desgraçados são os profanos suecos – ó homens de pouca fé! -,  porque deles o tinhoso continuará a cobrar o seu quinhão.

“É claro que pagamos impostos”, diz a pastora sueca Ulla Marie Gunner, com a naturalidade com que um Malafaia pede o cartão de crédito de um fiel.

“Jesus já disse: ‘dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus’”, recita instantaneamente a pastora na igreja evangélica Immanuelskyrkan (Igreja de Emanuel), no centro de Estocolmo.

Ainda que eu falasse a língua dos anjos, não conseguiria explicar a Ulla Marie como foi que Eduardo Cunha conseguiu abrir o mar regimental do Congresso para a travessia do seu “jabuti”: a emenda da isenção tributária às igrejas foi incluída – na surdina – na MP 668, que tratava originalmente do aumento de impostos sobre produtos importados.

O milagre do imposto zero foi testemunhado por multidões paralisadas em um transe coletivo, conto à pastora. Ao som das harpas dos querubins, os pastores se regozijaram com a caridade dos congressistas e do povo, sempre de joelhos. Com Deus e Cunha no comando, revelo à incrédula religiosa sueca, foi criado no Brasil o 11.o mandamento: “Nada se Pagará”.

É uma graça que não alcança os homens de boa fé da Suécia.

Como qualquer pastor sueco, Ulla Marie Gunner paga impostos sobre o salário e qualquer tipo de benefícios que recebe da igreja – incluindo casa, carro e eventuais ajudas de custo. E como toda igreja sueca, a Immanuelskyrkan é taxada pelo Leão por qualquer renda que não seja empregada para fins estritamente cristãos.

“E isso é o certo. A igreja deve ser parte da sociedade, e não uma entidade à parte, distanciada dos fiéis e da contribuição para o bem-estar coletivo”, diz a pastora.

Vou em busca de informações no Skatteverket, o Leão sueco, que afirma: só não há impostos sobre os imóveis ocupados pelos templos, e até o dinheiro das doações dos fiéis pode ser tributado – caso seja utilizado em benefício dos pastores, e não dos crentes.

“Se o pastor investir o dinheiro dos donativos em ações ou aplicações, terá que pagar impostos sobre os rendimentos, caso tais ganhos não sejam aplicados em atividades religiosas”, pontua Gunilla Landmark, analista fiscal do Skatteverket.

“Se o pastor ou a igreja comprarem uma fazenda, um hotel ou qualquer outro negócio com capital obtido através de doações de fiéis, também terão que pagar impostos. Se comprarem um imóvel ou um negócio no exterior, também pagarão impostos”, prossegue Gunilla.

O raciocínio sueco é o oposto do credo brasileiro: a Igreja, assim como também qualquer outra entidade sem fins lucrativos, paga impostos ao Estado.

“A premissa básica é a seguinte: todos, em uma sociedade, têm que pagar impostos e ser tratados de maneira igualitária. Tanto as igrejas, como os rebanhos”, resume a analista da autoridade fiscal sueca.

Não se pode controlar cada krona (coroa sueca, a moeda nacional), ela diz. Mas a autoridade fiscal detém, segundo Landmark, um eficiente sistema para verificar se as igrejas e os pastores estão fazendo o que devem.

“As igrejas devem comprovar que estão utilizando o dinheiro especificamente em obras de caridade e atividades afins”, diz Gunilla Landmark. “Se o dinheiro for empregado para fins religiosos, as igrejas podem ter certas deduções fiscais. Caso contrário, pagam impostos integrais”.

Na centenária Immanuelskyrkan, que congrega tradições batistas, calvinistas e metodistas, a pastora Ulla Marie confirma:

“Se servirmos café aos fiéis, ou ganharmos dinheiro de qualquer outra forma, temos que pagar impostos”.

Os tempos são outros: na Estocolmo dos anos 20, a hoje abastada Igreja de Emanuel era uma pobre congregação.

“Naquela época, muitos fiéis doavam porcos ou alimentos”, conta Ulla Marie. “Até a década de 60, nossa igreja vivia apenas dos donativos, e os pastores tinham que trabalhar o tempo todo para tentar obter doações dos fiéis”.

A partir dali, deu-se uma reviravolta – em vez de pedir dinheiro aos fiéis para suas atividades religiosas e de caridade, a Immanuelskyrkan resolveu entrar no mundo dos negócios.

“Várias congregações menores haviam se juntado a nós, ao longo dos anos, e todas tinham seus próprios bens. Aos poucos, fomos idealizando diferentes atividades, e hoje administramos um hotel, assim como diversos imóveis”, diz a pastora.

Estamos a poucos passos do hotel da congregação, o Birger Jarl. É um quatro estrelas, com mais de 270 quartos, no centro nobre de Estocolmo.

DCM.Foto.Hotel.Birger.1

Para Ulla, gerir este e outros negócios é uma maneira bem mais eficiente de obter recursos, a fim de beneficiar as obras sociais da igreja:

“Somos hoje uma igreja muito rica, até porque somos muito bons administradores. E pagamos impostos por isso.”

A igreja de Ulla também possui asilos de idosos, assim como acomodações para estudantes. A Immanuelskyrkan recebe ainda contribuições da Prefeitura para gerenciar parte de suas obras sociais.

“Mas pagamos impostos por isso”, frisa a pastora. “Como pastores, temos ainda a possibilidade de viver em apartamentos de nossa igreja. Mas também somos taxados por isso.”

Vamos comparar: no Brasil, a fonte de renda das igrejas inclui, além do dinheiro recebido diretamente dos fiéis, a venda de bens e serviços e os rendimentos com ações e aplicações. É uma arrecadação bilionária, que apenas em 2011 representou R$ 20,6 bilhões. Só em benefícios fiscais, as organizações religiosas brasileiras recebem cerca de R$ 4 bilhões anualmente. Também não há tributação sobre ajudas de custo, como moradia e transporte para os pastores.

Com o “jabuti” de Cunha, os profissionais da fé ficaram livres da cobrança de impostos sobre as “comissões” que ganham por recolher mais fiéis, e mais dízimos. Muitos pastores recebem um salário baixo, que é tributável – o grosso vem por fora, com as “comissões” que, a título de ajuda de custo, chegam aos 100 mil reais. Sob as bênçãos do Congresso, as igrejas evangélicas poderão ainda conseguir a anulação de autuações fiscais que passam de 300 milhões de reais.

Na Suécia, só Jesus salva os pastores. Assim como no Brasil, qualquer pessoa pode abrir uma igreja aqui. Mas o primeiro ato obrigatório é registrar a congregação no Kammarkollegiet: trata-se da mais antiga autoridade pública do país, criada, nos idos de 1539, quanto o rei Gustav Vasa decidiu estabelecer uma agência dedicada a lidar com a coleta de impostos no reino.

“Uma vez registrada, a igreja recebe um código fiscal, que é repassado automaticamente a todas as autoridades fiscais”, diz Stefan Berg, um dos gerentes do Kammarkollegiet.

Pergunto à pastora Ulla Marie se ela considera os impostos excessivos, em se tratando de igrejas.

“A Igreja deve assumir suas responsabilidades na sociedade em que atua. Como cristãos, não podemos nos distanciar de nossas obrigações sociais e dizer, ‘não temos nada a ver com isso’”, acentua a pastora.

Poderá o Cristo Redentor, diante de tal revelação terrena, fechar os braços e bater palmas sobre a Guanabara.

Até lá, fica reproduzida abaixo uma mensagem natalina especial para os delegados da Receita Federal.

São falas cristãs extraídas de um vídeo que circula na internet, e que pode ser acessado aqui: https://www.facebook.com/emersonbhmg/videos/817050975081568/

Mensagem do Do Pastor Valdomiro – “O Trízimo”:

“No mês de dezembro, você não vai devolver só o de Deus, os 10%. Você vai dar 20% do seu, você vai ser fiel. Você vai tirar 30%, e vai falar assim, ‘Senhor, representando a Santíssima Trindade – o Pai, o Filho e o Espírito Santo”

Do Pastor RR Soares – “O Dízimo no Débito Automático”:

“Eu estou pedindo às pessoas que têm conta, que façam a opção de em vez de ir ao banco depositar, para descontar direto da conta. É mais fácil, vai dar menos trabalho para você. Porque o diabo consegue às vezes fazer com que nós esqueçamos deste compromisso”

De Marco Feliciano – “Dízimo em cheque, cartão de crédito ou jóias”:

“Seus filhos que acreditarem na oração deste profeta, e tiverem coragem de pegar dinheiro, cartão de crédito, jóias e ofertarem nesta noite (…) Ah, pastor, mas eu não sei o que fazer com o meu dinheiro! Esse problema não é seu. Esse problema é da igreja”

Do “Bispo” Edir Macedo, em reunião com seus pastores – “Como tomar dinheiro mais fácil”:

“Você nunca pode ter vergonha, timidez. Peça! Peça! Quem quiser dá. E se alguém não der, tem um montão que vai dar. Tem que ser no peito e na raça. Bota pra quebrar.”

557 respostas
« Older Comments
  1. Marli Rank
    Marli Rank says:

    E porque aqui só os burros dos trabalhadores e empresários honestos tem que pagar. Outra coisa as ONG? tambem tem que pagar impostos. Que faz a receita federal. ..onde está o leão que tudo vê e nada resolve.Os contadores o que fazem pra que fazer faculdade se até um analfabeto enxerga a bagunça que virou nosso país.

    Responder
  2. Ogilson Antonio Pereira de Almeida
    Ogilson Antonio Pereira de Almeida says:

    As igrejas, são na sua grande maioria (para não dizer, todas), são grandes currais eleitorais. Usam e abusam da fé, da ignorância, ou do desespero das pessoas, para o enriquecimento. Se um dia tiverem que pagar impostos, muitos “milagres”, perderão o fôlego…

    Responder
    • Ju
      Ju says:

      Nunca vão pagar impostos aqui com essa maldita bancada evangélica e safada.

      Responder
  3. Joaquim Barros
    Joaquim Barros says:

    Quem tem peito de propor a mudança? Mais do que dinheiro os fiéis rendem preciosos votos. É um conluio do Cão.

    Responder
  4. Dalci Alano
    Dalci Alano says:

    kkkkkkkkkkk então os pobres coitados ai de cima,pensamq nos evangelicos somos todos idiotas e bobocas,voces vão ver no dia do juizo vamos ver quem tem razão,tem pastor q so tem o nome,isso tem mas vamo começar a falar dos padres?

    Responder
    • Brad
      Brad says:

      KkkKkk com esse argumento você pretende convencer que crentes não seja idiotas??

      Responder
  5. Sebastião Correia da Silva
    Sebastião Correia da Silva says:

    Se aqui as igrejas pagassem impostos, aí é que os pastores iam arrancar o couro dos incautos que lhes compram graças. É claro que os impostos seriam repassados aos marrecos, digo, aos fiéis.

    Responder
  6. Etelvino Nardin
    Etelvino Nardin says:

    Tem que fazer essa cambada de aproveitadores, a pagar impostos já!!! Pois o único milagre que operam, é nas contas bancárias deles….

    Responder
  7. Neiva Ferronato
    Neiva Ferronato says:

    No Brasil elas só enriquecem com o dinheiro que o povo pela fé dá pra elas, e com a filamtropia que o Governo brasileiro propicia a seus idealizadores. Uma verdadeira fabrica de riquezaas para eles e suas ricas famílias.

    Responder
  8. Fernando Braga
    Fernando Braga says:

    Vamos parar de papo e voltar ao trabalho porque temos muitos impostos para pagar ao deus-governo, além dos dízimos aos deuses pastores, padres, rabinos, babalorixás et caterva.

    Responder
  9. Sergio Bastos Do Rosario
    Sergio Bastos Do Rosario says:

    Toda vez que generalizamos, corremos o risco de sermos injustos. Também conheço e sou amigo de pastor muito sério e por isso mesmo pobre. Concordo que tem que taxar as fortunas pessoais dos pastores milionários, mas daí a generalizar é um erro.

    Responder
  10. José Alexandre
    José Alexandre says:

    para começar.. a funçaõ pastora ja´tá errado bíblicamente, concordo e emparte , para charlatões , embusteiros, milhionários devem aglutinar a arrecardação da igreja no imposto desses pastores milhionários de mega templos, PORÉM conheço pastores que abrem maõ de salários ,tem um emprego sécular, as suasigrejas paticam filantropia etc. e muitos passam necessidades, e uma boa idéia seria a Igreja Católica fazero mesmo, e naõ encher o Vaticano de mais OURO,muitas dessas megas igrejas são usadas para lavangem de dinheiro mesmo, sou Cristão evangélico e me envergonho disso!!

    Responder
    • Joel Batista da Silva
      Joel Batista da Silva says:

      Não foram poucas vezes que a Igreja Católica salvou o mundo por sua riqueza, por acaso vc conhece alguem poderoso sem riqueza. Quando ÁTILA invadiu a Europa, só não a destruiu totalmente por causa do Papa Leão. Vai se informar um pouco cidadão. A Católica é a maior entidade filantrópica do mundo. Quem é rico é a Igreja e não seus membros.

      Responder
    • José Alexandre
      José Alexandre says:

      Joel Batista da Silva kkkkkkkkkkkkkkk, com certeza a igreja católica salvou o mundo, que o diga a “santa inquisição” os milhares e milhares de pessoa mortas e , o apoio que o papa de a Hither durante o nazismo..concordo em parte co você meu Caro Católico Romanista! sem citarmos Constantino, porém naõ concordo em defender construções de pedra, nem líderes humanos falhos.. defedamos o evangelho de Jesus Cristo, sem as indugências caducas heréticas nem a novas..ha´meu caro.. se soubesse o quanto estudo, demorariamos meses aqui eu refutando seus conhecimentos primários sobre o catolicismo romanista..pergunte a MadreTeresa o quanto a igreja Romana fez por ela, e a audiência que ela teve com o papa, fica com Deus que naõ tenho ódio dos católicos romanos naõ, tá , se você tem ódio dos reformados que Deus te ilumine e abençõe!!

      Responder
    • José Alexandre
      José Alexandre says:

      Tratado de Latrrão o quando Mussolini , deu a igreja catolica via pio XI , 1 Bilhaõ e 3oo milhões de libras para a criação do vaticano, só para constar, naõ defendo líderes humanos nem católico nem pseudo evangélicos cristão!!

      Responder
  11. Murilo Rocha
    Murilo Rocha says:

    Que prostituição, tráfico de drogas ou armas, que nada! Igreja é o melhor negócio do mundo! Ou alguém conhece alguma empresa com mais de dois mil anos de existência?

    Responder
  12. Carlos Alberto Figueiredo Viana
    Carlos Alberto Figueiredo Viana says:

    Calma Honorino, escandinavos (vikings) que se converteram através de Santo Olavo em 995 depois de Cristo abandonando Odin e Thor como suas principais divindades depois de 1.000 anos, sem internet e Smartfones, tem outra postura, fomos fundados por mouros do sul da Europa cuja as relações estado igreja é diferente de lá, enraizamento e entendimentos diferentes,do ponto de vista cultural, simples assim

    Responder
  13. Honorino Colla
    Honorino Colla says:

    Mas no Brasil não, isentas e promotoras de lavagem de dinheiro enquanto nós pobres mortais temos desconto sem dó nem piedade diretamente nos nossos salários.

    Responder
    • Israel Oliveira
      Israel Oliveira says:

      Prove onde há lavagem de dinheiro em igrejas Batistas tradicionais e Assembléias de Deus. Sua lógica é ão torpe que eu mesmo poderia conceituar candomblecistas de enganadores só pelo fato de alguns fazerem “trtabalhos’ mentindo para seus clientes, algo que não posso afirmar.

      Responder
  14. Jose Nery
    Jose Nery says:

    São cínicos, safados materialistas – verdadeiros ‘estelionatários da FÉ’ de um povo incauto e pressionado pelo ‘medo religioso’ que se lhes impõe.!! – Uma palhaçada VERGONHOSA, que autoridades fingem não VER.!! AFF.

    Responder
    • José Rubens Rubens
      José Rubens Rubens says:

      Todos tem seus interesses, sejam eles justos ou impios… A única coisa que esquecem quando acusam e na maioria das vezes com a razão, é que ninguém vai responder pelos seus atos, somente você fará isso. Então, temos que ter prudencia em acusar ou denigrir generalizando uma entidade seja ela qual for, evangélica, espirita, católica. Em algumas delas, talvez até em todas, existem pessoas sérias e de boa índole, fazendo ou tentando fazer a coisa certa. O mal favorecerá somente a alguns que procuram esse caminho, a justiça de Deus não falha, lá não existe erro. Todos teremos que nos justificar um dia, e, ele vai chegar! disso não tenham dúvida. Abs..

      Responder
  15. Maria de Nazare
    Maria de Nazare says:

    Ainda não entenderam os sentidos sobre essa parabola dai a César o que é de Cesar e dai a Deus o que é de Deus

    Responder
  16. Luiz Augusto Lopes Pereira
    Luiz Augusto Lopes Pereira says:

    Perai !!! Igrejas não devem pagar impostos !!! Quem “coleta” dinheiro dos pobres em nome de deus, merece respeito !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (deus com “d” minusculo, pois o verdadeiro Deus, nada tem a ver com ladrões e falsos profetas).

    Responder
    • Silvana Campos
      Silvana Campos says:

      Antigamente, a finalidade do dízimo era para ser pago a cada dois anos e era para ajudar viuvas e pessoas com deficiência.

      Responder
  17. Jair Moraes
    Jair Moraes says:

    sou a favor, ja que eles tiram dos fieis, não as igrejas pequenas que mal se sustentam mas esses enormes templos que abusam da boa fé das pessoas !

    Responder
  18. Luciano Rosa
    Luciano Rosa says:

    Essa campanha é para se roubar mais. Um link patrocinado pra isso? É roubo. Imposto a mais para não dar retorno nenhum.

    Responder
  19. Saramar Mendes
    Saramar Mendes says:

    Os fiéis que entregam seus parcos recursos para as tais “igrejas” pagam os maiores impostos do mundo. Por que elas, que enriquecem a olhos vistos, vendendo tijolos, toalhas sujas e promessas indecentes não deveriam pagar?

    Responder
  20. Marcos Dutra
    Marcos Dutra says:

    Pagar impostos ? Que estupidez. O PT iria roubar 40% da oferta e o resto o Edir Macedo roubaria do mesmo jeito. A solução é proibir a apropriação pessoal do dinheiro da organização. Pense um pouco na besteira que você falou, incentivando o governo a se meter ainda mais na livre organização das pessoas e prejudicando as igrejas sérias que fazem um bom trabalho.

    Responder
    • Gino Viana
      Gino Viana says:

      Névio S. Fernandes Filho Fernandes tbm. acho…esse Marcos Dutra é realmente, um bosta bem grande…

      Responder
    • Silvana Campos
      Silvana Campos says:

      Que bom trabalho? A fé é sua e se você não aparecer lá, não vai existir a igreja! Não pode pagar impostos mas tem de pagar o dizimo!

      Responder
    • Marcos Dutra
      Marcos Dutra says:

      Dois velhos que deveriam ter sabedoria e um mínimo de dignidade. Cabelos brancos e boca suja. Suas famílias sabem que vocês agem como moleques de rua, com o comportamento histérico dando chilliques como meninas adolescentes ? Que vergonha para seus filhos e netos.
      Esse é o seu argumento? Xingar?

      Responder
  21. Plinio Tavares
    Plinio Tavares says:

    Me digam porque Satanás (Edir Macedo e outros) não pagam Impostos se eu que sou funcionarioi público já vem descontado o IR no meu Contra Cheque.

    Responder
  22. Claudio Maquiaveli
    Claudio Maquiaveli says:

    sabe!! vocês também deveria lutar para que a igreja católica devolvesse tudo o que ela já saqueou roubou e enviou pra roma!!

    Responder
    • Ju
      Ju says:

      O texto é falando de Igrejas em geral, não só de evangélicas. Vai aprender a ler.

      Responder
  23. Edson Silva
    Edson Silva says:

    Aqui não pagam impostos, mas, financiam campanhas políticas por baixo do pano a troco da isenção.

    Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*