Vídeo: Como vive um ex-primeiro-ministro na Suécia

Claudia Wallin, para a Globonews: Duas vezes primeiro-ministro da Suécia, Ingvar Carlsson vive em um pequeno apartamento de um modesto condomínio da periferia de Estocolmo, onde a lavanderia é comunitária e não há serviçais. É o mesmo lugar onde ele já vivia nos tempos em que era vice-primeiro-ministro, quando todos os dias Carlsson tomava o ônibus para o trabalho, na sede do Governo sueco. “Um político tem que praticar o que ele prega”, ele diz. Para Carlsson, a criação de uma democracia ética é responsabilidade de todos os cidadãos: “Cada indivíduo tem o dever de assumir responsabilidade pelos rumos da sociedade. Todos os cidadãos devem participar da política. Não é um caminho glamuroso. Mas é assim que se constrói uma democracia”.

Como oportunidades iguais entre ricos e pobres ajudaram Finlândia a virar referência em educação

Claudia Wallin, para a BBC News Brasil - Em um espaço de 30 anos, a Finlândia transformou um sistema educacional medíocre e ineficaz, que amargava resultados escolares comparáveis a países como o Peru e a Malásia, em uma incubadora de talentos que alçou o país para o topo dos rankings mundiais de desempenho estudantil, e alavancou o nascimento de uma economia sofisticada e altamente industrializada.

Eleição sueca: extrema-direita avança, mas menos que o previsto

Em uma das eleições mais dramáticas da história democrática da Suécia, os resultados do pleito de domingo confirmaram o retrocesso recorde da social-democracia no cenário político - mas apesar do avanço da extrema-direita, as projeções de que o partido anti-imigração Democratas da Suécia se converteria na segunda maior força política do país não se concretizaram.

Suécia: eleições devem confirmar avanço de partido da extrema-direita e anti-imigração

A dois dias das eleições gerais da Suécia, pesquisas de opinião apontam que o Partido Social-Democrata, que tem dominado a política sueca desde a década de 30, deverá amargar o pior resultado eleitoral da história democrática do país. E a extrema-direita avança: o partido anti-imigração Democratas da Suécia, que tem raízes no movimento neonazista, caminha para se tornar a segunda maior força política da nação.

Na eleição sueca, deputado que gasta demais com táxi perde candidatura

Na singular democracia sueca, onde políticos não têm direito a carro com motorista, pegar um táxi ou alugar um veículo com o dinheiro do contribuinte - em vez de tomar o trem - é motivo suficiente para enterrar a carreira de um deputado. Às vésperas das eleições gerais de domingo na Suécia, três parlamentares de diferentes partidos foram obrigados a renunciar às suas candidaturas, após revelações de que descumpriram as regras que priorizam o uso do transporte público por todos os políticos do Parlamento.

Incêndios na Suécia atingem área equivalente a 35.700 campos de futebol

A maior onda de calor dos últimos 260 anos na Suécia provoca os mais graves incêndios florestais da história moderna do país. Sete países da União Européia já se uniram aos esforços para ajudar a Suécia a combater as chamas, que atingem uma área total de 250 quilômetros quadrados - o que equivale aproximadamente a 40% do território da cidade do Rio de Janeiro.

Como o premiê da Suécia acabou envolvido em investigação contra Dilma e Lula

Cinco anos após o anúncio da compra dos caças suecos Gripen NG pelo Brasil, o primeiro-ministro da Suécia e os principais executivos da empresa sueca Saab, fabricante dos aviões, compareceram nesta sexta-feira ao Tribunal Distrital de Estocolmo para depor no âmbito da operação brasileira Zelotes - em processo que acusa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de tráfico de influência nas negociações que levaram à aquisição de 36 aeronaves suecas por US$ 5,4 bilhões em 2014. Não há acusações de irregularidades contra o governo sueco ou a Saab. O premiê Stefan Löfven e os executivos da empresa foram chamados a depor pelo Ministério da Justiça do Brasil a pedido da defesa de Lula, que nega as acusações e está preso em Curitiba desde 7 de abril em decorrência de outro processo, relacionado ao tríplex do Guarujá.

Nome de Lula deveria estar fora das pesquisas, diz Ciro na Suécia

O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, criticou nesta nesta terça-feira na capital sueca o fato de o nome do ex-presidente Lula constar dos cenários eleitorais das pesquisas de intenção de votos para as eleições presidenciais de 2018. “Qualquer pesquisa que comece colocando o ex-presidente Lula no universo pesquisado vai deformar tudo o mais. Enquanto não houver a possibilidade de se comparar aqueles que vão se apresentar na disputa eleitoral, as pesquisas vão continuar sendo apenas um retrato do momento”, disse Ciro Gomes durante evento realizado em Estocolmo na Câmara de Comércio Brasileira na Suécia (Brazilcham).

Escândalos e crise na Academia Sueca do Nobel

A Academia Sueca, responsável pela escolha anual do Prêmio Nobel de Literatura, vive a maior crise da  história da instituição. A secretária permanente Sara Danius e mais uma integrante da Academia anunciaram sua renúncia na noite de quinta-feira (12), em meio a uma grave disputa interna que já havia provocado o afastamento de três membros e que desafia a credibilidade da organização: um em cada três suecos defende a substituição de todos os membros da Academia Sueca.

Suécia quer equilibrar representação de mulheres e homens na Wikipédia

Nesta quinta-feira, Dia Internacional da Mulher, a Suécia promove um mutirão global no Brasil e em outros 50 países para ampliar a a representação feminina na Wikipédia, a enciclopédia colaborativa da internet. A ideia é impulsionar a igualdade de gênero na rede. Com a hashtag #WikiGap, a meta da iniciativa sueca é capacitar voluntários para aumentar a produção de perfis e artigos na Wikipédia sobre mulheres. A Wikipédia é a maior enciclopédia online do mundo, mas há um grande desequilíbrio no seu conteúdo em termos do conhecimento que ela dissemina sobre homens e mulheres: mais de 80% dos perfis publicados são sobre homens, e 90% do material é escrito por autores masculinos.

Na estante de Lula: "Um País Sem Excelências e Mordomias"

Em uma lista de cinco livros publicada hoje pela Folha de S. Paulo, "Um País Sem Excelências e Mordomias" é citado como uma das obras que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva guarda. A reportagem é da jornalista Monica Bergamo, que foi recebida pelo ex-presidente para uma rara entrevista exclusiva no Instituto Lula.

Comprar Livro

Radar Brasil

Crônicas da Escandinávia

A Vida Na Suécia